Instituto Superior Técnico

Área de Estudos, Planeamento e Qualidade

História

A Área de Estudos, Planeamento e Qualidade (AEP), originalmente nomeada de Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) (PDF, 49KB), foi constituída por decisão do Conselho Directivo no dia 25 de Junho de 1993, pela necessidade dos Órgãos Centrais, e em particular do Conselho Directivo, terem uma entidade que prestasse assessoria em áreas específicas que contribuíssem para a gestão e desenvolvimento estratégico do IST, dada a crescente necessidade de criar estruturas de tratamento de informação que facilitassem o processo de tomada de decisão.

Mais do que um gabinete, a AEP tem procurado funcionar como um grupo de investigação no âmbito das actividades de gestão e avaliação do ensino superior, promovendo a realização de trabalhos finais de curso e projectos de pós-graduação em áreas de interesse para a escola.

Neste sentido, a AEP tem-se apresentado como sede da criação de documentos de estudo e reflexão sobre o IST e a sua envolvente, pronunciando-se sobre as solicitações que lhe têm sido feitas pelo Conselho Directivo, Científico e Pedagógico, dentro das suas áreas de actuação e que incluíram, numa primeira fase, quatro áreas prioritárias: a área administrativa e financeira, a área pedagógica, a área de ciência e tecnologia e a área de formação profissional. Ao longo dos anos, estas áreas desenvolveram-se de tal forma, que se justificou a sua separação física do espaço ocupado pela AEP.

A primeira área a ter espaço próprio foi a da Formação Profissional, que recebeu importantes apoios por parte da Comunidade Europeia e do Estado português, tendo integrado acções dispersas de formação no IST num plano bem definido e com objectivos claros, com vista à optimização dos recursos da escola, cuja coordenação, construção e implementação começou por ser da responsabilidade da AEP. Posteriormente, foi integrada noutros serviços do IST, nomeadamente no Gabinete de Apoio à Escola de Pós-Graduação (GAEP) e no Núcleo de Formação de Pessoal (NFP), estando neste momento a funcionar no âmbito do Núcleo de Pós-Graduação e Formação Contínua (NPGFC).

A segunda área, cujo desenvolvimento obrigou à transferência para novas instalações, foi a Financeira e Administrativa. A legislação aprovada nessa altura levou a que a contabilidade do IST fosse feita de acordo com o Plano Oficial de Contas (POC) pelo que se julgou pertinente, numa primeira fase, a AEP colaborar com técnicos altamente qualificados na área económico-financeira, de forma a garantir a correcção dos procedimentos contabilísticos a par de uma optimização da utilização dos recursos financeiros do IST. Neste momento, esta actividade está concentrada numa Direcção Financeira, apoiada por 3 áreas específicas: Contabilística, Orçamental e Patrimonial e de Projectos.

A outra área, que veio a necessitar de instalações próprias, foi a da Avaliação Pedagógica. A lei da autonomia e o desenvolvimento exponencial do ensino superior, levaram à criação de mecanismos de avaliação das universidades e dos seus programas, para assegurar níveis de qualidade. Por outro lado, a adesão de Portugal à UE e a consequente abertura do mercado de trabalho levou à necessidade de estabelecer padrões de qualidade para uma normalização dos graus académicos atribuídos pelo sistema universitário a nível europeu. Neste sentido, julgou-se pertinente a AEP acompanhar as primeiras experiências piloto no âmbito da avaliação e acreditação das licenciaturas, acompanhando nos anos seguintes todos os processos neste âmbito, traduzindo o lema “évaluer pour évoluer” o espírito subjacente à actuação da AEP na área pedagógica.

Em contrapartida, a área de Avaliação Pedagógica absorveu em 1999 alguns dos colaboradores da área de Estudos e Estratégia, dado que os problemas pedagógicos assumiram uma dimensão maior dentro das preocupações do novo Conselho Directivo, o que levou a uma remodelação deste serviço, de modo a permitir que a equipa de ambas as áreas pudesse desenvolver os seus estudos e projectos no mesmo espaço de trabalho, tendo-se procedido em Maio de 2000 a uma nova mudança de instalações.

Esta reestruturação permitiu a concentração, no mesmo espaço físico, de todos os colaboradores da AEP, e a continuação das várias linhas de trabalho (Estudos e Estratégia e Avaliação Pedagógica). Integradas num mesmo gabinete, designado na altura de Gabinete de Estudos e Planeamento, ambas as áreas passaram a ser coordenadas por uma mesma pessoa.

No âmbito de uma reorganização dos serviços centrais do IST, e ao fim de 14 anos de funcionamento na cave do Pavilhão Central, a equipa da AEP viu significativamente melhoradas as condições de trabalho dos seus colaboradores, com a mudança de instalações para o piso superior do mesmo edifício em 2007. Com outro ânimo para prosseguir a sua missão, a AEP passou de um “open space”, para um espaço de 2 pisos com 7 gabinetes e uma sala de reuniões, que asseguram condições de trabalho significativamente melhoradas.

Ainda no âmbito da reorganização dos serviços, e em Outubro de 2007, a AEP contou com uma nova estrutura, que teve como objectivo reforçar e motivar parte da sua equipa, investindo na componente de estatística e prospectiva dos trabalhos a desenvolver. Neste sentido, foi criado um núcleo específico – Núcleo de Estatística e Prospectiva (NEP) – cujas competências deverão essencialmente contribuir para a criação e manutenção de estruturas de recolha, tratamento, actualização e disponibilização de informação, de forma a permitir a concretização dos objectivos do nosso gabinete, que por sua vez pretendem contribuir para a concretização dos objectivos estratégicos do IST. Mais tarde, em julho de 2013, foi institucionalizado outro Núcleo, no âmbito da área de atuação de Estudos e Projetos. Neste Núcleo (E&P – Núcleo de Estudos e Projetos), desenvolvem-se trabalhos que implicam um aprofundamento de temas específicos através do desenvolvimento de estudos e projetos com elevado grau de complexidade, assegurando ao mesmo tempo a regular sistematização de indicadores do Ensino Superior, nomeadamente nas áreas de empregabilidade e I&DI, bem como a promoção da integração do IST em redes nacionais e internacionais de referência nas áreas de intervenção do E&P.

Em 2017, e na sequência da entrada em vigor do novo Regulamento de Organização e de Funcionamento dos Serviços Administrativos e de Apoio Técnico do IST (ROFNATIST) a designação da Área de Estudos e Planeamento passou a incluir o termo QUALIDADE, de modo a dar maior visibilidade interna mas sobretudo externa, a todo um trabalho de monitorização, avaliação e promoção da QUALIDADE no IST, mantendo contudo a sigla pela qual é reconhecida (AEP).

Marta Pile
Coord. AEP

Antigos Colaboradores

Coordenadores

Área de Ciência e Tecnologia Área Pedagógica Área Administrativa e Financeira Área de Formação Profissional
Pedro Conceição (1993-1995) Marta Pile (1993-2000) João Careca (1993 – 1999) Nuno Riscado (1993 – 1995)
Pedro Oliveira (1997-1999)
Filipe Santos (1995-1996)
Pedro Vieira (1999-2000)

Colaboradores

  • Aldina Carvalho
  • Ana Agante Lucas
  • Ana Espírito Santo
  • Ana Lúcia Silva
  • Anabela Novais
  • Carina Fernandes
  • Carla Patrocinio
  • Catarina Moreira
  • Catarina Pereira
  • Cristina Segura
  • Encarnação Jesus
  • Fátima Visenjou
  • Filipa Mendes
  • Filipa Soares
  • Isabel Gonçalves
  • Isabel Nunes
  • João Terlica
  • Joana Guilherme
  • Joana Rodrigues
  • Jonatas Rifana
  • Jorge Rodrigues
  • Luís de Oliveira Silva
  • Luís Lourenço
  • Helena Lopes
  • Mafalda Guimarães
  • Mafalda Macedo
  • Manuela Morais
  • Manuel Correia
  • Margarida Braz Pinto
  • Margarida Cândido
  • Marta Melo
  • Miguel Coimbra
  • Miguel Loureiro
  • Paulo Conde
  • Paulo Custódio
  • Pedro Janela
  • Rita Melo
  • Rui Duarte
  • Rui Dias Alves
  • Rui Mendes
  • Sara Duarte
  • Sílvia Reis
  • Sofia Cabeleira
  • Sofia Pedradas
  • Sónia Revez
  • Tânia Correia
  • Tânia Silva
  • Tiago Alves Caseiro